Fenasps

quarta-feira, 22/12/2021

Vamos construir a Greve Geral por reajuste para todos(as) servidores públicos!

Este governo corrupto e fascista declarou guerra aos Servidores(as) Públicos(as) Federais (SPFs) que não usam farda! Com profundo desrespeito a todos(as) servidores(as) públicos(as) do Executivo – já que estes não aceitam participar das suas falcatruas – Bolsonaro ataca aqueles(as) que mais lutaram na defesa dos Serviços Públicos, impedindo a destruição do Estado Brasileiro.

Foram os(as) trabalhadores(as) da Saúde Federal, por meio do SUS e da Anvisa, que mais se expuseram na linha de frente do combate à Covid-19, e agora à epidemia de Influenza, enquanto os servidores(as) do INSS – com todas as dificuldades impostas pela gestão da autarquia – garantiram que milhões de brasileiros recebessem seus direitos previdenciários.

Foi um servidor do Poder Executivo que denunciou a corrupção na compra de vacinas, que obrigou o governo a adquirir imunizantes para salvar mais de 22 milhões de vidas. Estamos em luta com os milicianos desde sua posse, em janeiro de 2019!

Perdas salariais superam 50%

O ano de 2021 ainda não terminou, mas os(as) servidores(as) já preparam grande enfrentamento contra o governo Bolsonaro em 2022. O atual desgoverno se empenhou como nunca para aprovar no Orçamento reajuste salarial apenas para os policiais federais, deixando à míngua mais de um milhão de servidores, que estão sem qualquer reajuste ao longo dos últimos cinco anos. São mais de 50% de perdas salariais para os servidores públicos, neste período, segundo o Dieese.

Na batalha permanente por sobrevivência, as categorias de servidores(as) que prestam serviços à população, salvando milhões de brasileiros, lutam por melhores condições de vida neste país, cujo presidente e sua camarilha encenam cotidianamente trágicos momentos de horror e dor, destroçando quase 618 mil famílias que perderam seus entes queridos pela ação destes genocidas. Seja pela completa sabotagem aos programas de prevenção, seja pela ação direta contra a vacinação das pessoas, que já se comprovou ser extremamente eficaz para controlar a Covid-19.

Unidade fundamental

A unidade do conjunto dos(as) servidores públicos foi decisiva para derrotarmos a PEC 32. Porém, numa guerra, não existe tempo de descansar. Mal nos livramos de um ataque, e já nos defrontamos com outro. Durante meses estivemos na frente de batalha em Brasília e nos estados combatendo a PEC 32 – a chamada ‘Reforma Administrativa’ – e finalmente a enterramos, pelo menos em 2021. Ano que vem essa luta continua!

Mas, com votos comprados da quadrilha de parlamentares do corrupto ‘Centrão’, estes sanguessugas, especialistas em desviar e roubar recursos públicos, agora inventaram um ‘Orçamento Secreto’, com recursos bilionários para deleite destes criminosos, que cultivam a ilusão que, ao aprovar reajustes apenas das Polícias Federais, estarão a salvo de eventuais investigações que certamente comprovarão a corrupção que praticam. Vale ressaltar que este setor de trabalhadores(as) representa pouco mais de 45 mil pessoas.

Enquanto um milhão de servidores(as) que, se não forem à luta deflagrar greve, poderão ficar mais um ano sem reposição das perdas salariais. Dependendo dos estudos, nossa defasagem salarial fica entre 41% e 57%. Imaginem o malabarismo que fazemos para que, no nosso orçamento ‘nada secreto’, seja suficiente para pagar todas as despesas.

Enquanto sofremos o ‘despresidente’ torra milhões em passeios com motos, fazendo aglomerações que provocam aumento na contaminação e mortes; continua iludindo seus seguidores, inaugurando a política de “Osso e circo ao povo e filé mignon Wagyu aos ricos”, mantendo a massa hipnotizada com as ações criminosas do gabinete do ódio.

E, de quebra, ainda existem inúmeras denúncias de estar ocorrendo a manipulação das forças de segurança para achar adversários, e com isto impedir ou evitar a investigação dos membros da família envolvidos em crimes da rachadinha, além dos crimes ambientais e a corrupção das vacinas no Ministério da Saúde.

Construir a Greve Geral

Não existem salvação nem saídas individuais: é preciso construir um movimento paredista! É igualmente fundamental que cada servidor(a), esteja no trabalho presencial ou remoto, esteja firme na luta para manter os direitos e conquistas da categoria, pondo fim à política de reajuste zero e desmonte do Estado.

Em 2022 os desafios serão imensos, a começar pela urgência em construir a Greve Geral para derrotar este projeto de congelamento salarial e desmonte dos serviços públicos, somente na unidade e luta de todos/as derrotaremos este governo nazifascista.

FIM DA DISCRIMINAÇÃO: REAJUSTE PARA TODOS(AS)!

CADEIA PARA OS CORRUPTOS!

Últimas notícias

sexta-feira, 24/06/2022 CNM da Fenasps realiza atividades no Congresso e cobra governo sobre o cumprimento do acordo de greve. Veja o resumo da semana (20 a 24/6) Nesta semana (20 a 24 de junho), o Comando Nacional de Mobilização (CNM) da Fenasps realizou diversas atividades no Congresso Nacional e em audiências ...
sexta-feira, 24/06/2022 Pedindo justiça por Bruno e Dom, Fenasps participa de ato dos servidores da Funai em Brasília A Fenasps participou, nessa quinta-feira, 23 de março, de um ato em frente à sede da Fundação Nacional do Índio (Funai), em Brasília, em ...
quinta-feira, 23/06/2022 Mutirões aos fins de semana e suspensão das férias: veja orientação do CNM da Fenasps A Fenasps recebeu relatos de servidores e servidoras do INSS de diversas regiões do país quanto à convocação para trabalho aos sábados nas Agências ...