Fenasps

quarta-feira, 06/01/21

Enquanto vacina pelo SUS atrasa, Bolsonaro prioriza autorização a clínicas privadas

Material da campanha do Fonasefe faz apela pela vacinação contra a Covid-19 (imagem: reprodução)

Nessa segunda-feira, dia 4 de janeiro, o Ministério da Saúde anunciou que as clínicas de saúde privadas deverão respeitar a ordem dos grupos prioritários na fila da vacinação contra a COVID-19 se quiserem vender vacinas.

Essa declaração, que pode parecer uma restrição significativa a essas clinicas, na verdade é o contrário disso. Em outras palavras, o governo está autorizando as clínicas privadas a vender doses – caso a pessoa tenha condições de pagar – com a única condição dos grupos prioritários terminarem de ser vacinados antes.

Assim, num país tão desigual como o Brasil, a declaração abre brechas para os ricos serem imunizados antes do restante da população. Em outras palavras, vão furar a fila da vacina do SUS apenas porque possuem mais dinheiro.

A declaração que o Ministério da Saúde deveria emitir é o anúncio de um plano nacional de imunização efetivo, a compra de doses e insumos hospitalares para atender a todos de forma gratuita e a contratação de profissionais de saúde para aplicar este plano.

Além disso, o governo deveria proibir as clínicas privadas de comercializar as vacinas paralelamente e punir aqueles que tentarem furar a fila. A permissão de que essas clínicas comercializem a vacina vai dificultar a compra de doses pelo poder público devido à diminuição da oferta, além de inflacionar os preços desses medicamentos, elitizando o processo de imunização.

Sem contar que um plano de vacinação não integrado pode fracassar devido às mutações do vírus. A vacinação contra a COVID-19 deve ser monopólio do Estado brasileiro, pois é seu dever e é um direito do cidadão.

Exigimos um plano nacional de imunização efetivo, a compra de doses e insumos para toda a população e a proibição da venda paralela de vacinas aos que pretendem furar a fila do SUS apenas por poderem pagar.

Campanha

A Fenasps iniciou no dia 16 de setembro de 2020 a divulgação de uma campanha de mídia contra a contrarreforma Administrativa, apresentada pelo governo duas semanas antes. Esta campanha é promovida pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e suas entidades, dentre elas a Fenasps. Saiba mais aqui.

Não guarde estas informações para você! Compartilhe este card para seus colegas de trabalho, seus amigos, no seu círculo familiar. Use as hashtags #VacinaparaTodos, #VacinaGratuita, #VacinacontraCovid19já, #VacinaNãoéMercadoria, #EmDefesadaVida, e siga as redes sociais da Fenasps: no Facebook, no Twitter e no Youtube.

Vacina não é mercadoria! Vacina contra Covid já! Em defesa da vida!

Últimas notícias

terça-feira, 12/01/21 Demissão de 5 mil trabalhadores do BB é mais um ataque do governo ao Serviço Público O Banco do Brasil anunciou nessa segunda-feira, 11 de janeiro, um programa de reestruturação que significa mais um passo na sua privatização. Entre as ...
segunda-feira, 11/01/21 A vacina produzida pelo Butantan é uma vitória do Serviço Público! Muitos estão comemorando o alto índice de eficácia da vacina CoronaVac desenvolvida pelo Instituto Butantan, que trabalhou em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. ...
sexta-feira, 08/01/21 Brasil ultrapassa 200 mil mortes por Covid-19. Vacinação, já! No mesmo dia em que o Brasil ultrapassou a marca de 200 mil mortes por COVID-19 (esta quinta-feira, 7 de janeiro), registramos um recorde ...