Fenasps

quarta-feira, 29/09/21

‘Quem votar, não volta’ emplaca, e líderes do governo temem não conseguir aprovar PEC 32 neste ano

Parlamentares aliados ao governo sentiram a pressão dos servidores(as) públicos(as). Saiu na imprensa que os líderes dos partidos da base do governo no Congresso Nacional já estão descartando levar a PEC 32, a ‘deforma administrativa’, para o Plenário da Câmara dos Deputados em 2021, com medo de uma grande derrota.

Após a aprovação da medida na Comissão Especial, ocorrida apenas devido a uma manobra do governo, o rito parlamentar continuaria com a apresentação da PEC 32 no Plenário da Câmara, prevista para as próximas semanas. Porém, o clima mudou, e ainda não há previsão para que a medida seja pautada pelos deputados(as).

Necessitando de dois terços de parlamentares da Câmara para ser aprovada, isto é, votos de no mínimo 308 deputados(as), a PEC 32 não possui apoio suficiente para se ratificada na Casa, segundo a análise da base aliada.

‘Quem votar, não volta’

Segundo os líderes das bancadas que apoiam o governo Bolsonaro, parlamentares estão com medo de aprovar as mudanças e perder a eleição em 2022, em especial nos estados em que o número de servidores é representativo.

O lema “quem votar, não volta” certamente emplacou entre os trabalhadores(as) do Serviço Público e suas entidades representativas, mas, para além disso, encontrou eco na Câmara. Os partidos da oposição fecharam posição contra a ‘reforma’ e pelo menos 130 parlamentares devem rejeitar a PEC 32 se for a Plenário.

Mobilização permanente

Ainda que haja a sinalização dos líderes de bancada na Câmara para que a PEC 32 não seja votada em 2021 – e possivelmente também não seja em 2022 – os trabalhadores(as) precisam permanecer em estado de alerta.

Se não puder vir para Brasília, participe das atividades no seu município, organizando manifestações nas bases dos deputados. Você pode ainda pressionar os parlamentares comentando e deixando ‘dislikes’ nas suas páginas nas redes sociais. Vamos lembrar os parlamentares que, se votarem a favor da ‘reforma administrativa’, não iremos esquecê-lo nas eleições de 2022!

Você pode enviar mensagens para os deputados(as) por meio das plataformas ‘Na Pressão‘ e ‘Observatório‘. Faça você também a sua parte: leva apenas alguns minutos para enviar sua mensagem!

A PEC 32 ainda está em tramitação, e toda a resistência à ‘reforma administrativa’ deve continuar até que a medida seja derrubada por completo. Existe ainda a possibilidade de medidas contra os servidores(as) públicos(as) serem apresentadas via projeto de lei, ou medida provisória.

Portanto, os servidores(as) públicos(as) devem procurar os sindicatos aos quais são filiados, integrando-se nas manifestações contra a PEC 32 e o governo Bolsonaro. Neste sábado, 2 de outubro, haverá ato convocado (clique na imagem abaixo para ampliar) pelas centrais sindicais, em defesa da vida, da democracia e pelo impeachment de Jair Bolsonaro. Participe!

As manifestações continuam! Ontem (28/09), a Fenasps participou, junto de outras entidades dos servidores públicos federais (SPFs), de um grande ato no aeroporto de Brasília, pela manhã. Clique na foto abaixo para conferir a cobertura completa.

Já nesta quarta-feira, 29, a diretora da Fenasps, Deise Nascimento, fez um depoimento durante ato realizado no Anexo II da Câmara. Assista abaixo:

Também nesta quarta, 29, houve manifestação contra a PEC 32 em Belém/PA. Veja abaixo fotos e vídeos do ato:

Últimas notícias

quarta-feira, 19/01/22 Neste 24 de Janeiro, Dia do Aposentado(a), exigimos valorização, isonomia e respeito! Trabalhar por décadas, abrindo mão de momentos importantes, à distância de familiares, sonhos adiados para quando parar de trabalhar… E no momento em que ...
terça-feira, 18/01/22 SPFs iniciam mobilização por recomposição salarial em atos no BC e no Ministério da Economia nesta terça, 18 Sem reajuste há cinco anos, o conjunto dos Servidores Públicos Federais (SPFs) realizou um ato na manhã desta terça-feira, 18, em frente à sede ...
sexta-feira, 14/01/22 PRORROGADA! Pesquisa sobre a saúde do Trabalhador do INSS seguirá até 31 de janeiro Diante da grande demanda pela pesquisa “Saúde dos(as) trabalhadores(as) no INSS a partir das alterações no processo de trabalho com a ampliação do uso ...